terça-feira, 1 de março de 2011

TESTEMUNHOS Jovem Curado de Leucemia no Noroeste do Rio de Janeiro


"Para a medicina, é impossível, mas eu presenciei na vida de Isaque um milagre", afirma uma das médicas que cuidou do rapaz
Isaque Dionísio de Paula, 15 anos, tinha uma vida normal até que um rápido emagrecimento foi notado por todos que o conheciam. Nascido em, lar evangélico e filho de pastor, Isaque, da cidade de Itaperuna, no noroeste do Estado do Rio de Janeiro, foi pego de surpresa há nove anos por um diagnóstico assustador. Ele era um portador de uma doença extremamente grave: câncer no sangue. "Ele estava com uma leucemia do tipo aguda mielográfico, que é um dos graus mais elevados da leucemia", explica Vinícius de Oliveira Dutra, um dos hematologistas que cuidou de Isaque.

Quem percebeu que algo estava errado foi uma das funcionárias do colégio em que o jovem estudava, Eliane Isabel. Ela disse que, em menos de uma hora, Isaque ia ao banheiro 20 vezes. "Naquela semana, senti que ele perdeu mais de 10 quilos. Então, levei o caso à direção da escola", lembra.

Preocupados, os pais recorreram ao hospital de referência da cidade. Após exames, o diagnóstico não foi favorável. "Esse exame constatou que ele estava com Leucose aguda", comenta irmã Luciene Dionízio, mãe de Isaque.

Na escola, o sentimento de solidariedade tomou conta dos colegas. A professora ainda se lembra da movimentação em favor do jovem. "Fizeram campanhas, venderam cachorro quente e outras coisas nesse período para ajudá-lo. Mas, o mais bonito foi a união de oração, em todos o slugares e em todos os momentos", alegra-se a professora Wilza Marione.

Em Itaperuna, a oração se tornou cada vez mais intensa. "Todas as igrejas vizinhas e amigas movimentaram-se em oração. Sabíamos que ele dependia simplesmente de um milagre do Senhor", conta o vice-presidente da Igreja Eliezer Valério.

"Os médicos disseram para os meus pais que, devido à doença ter sido descoberta muito tarde, grande parte do meu sangue já tinha sido tomado pelo câncer. Só um milagre poderia me tirar daquela situação", relata Isaque.

Irmã Luciene mantinha confiança no controle divino. "Deus já tinha me falado através de dois sonhos e um servo dEle que veio à nossa cidade. O Senhor revelou para ele que o sangue do Isaque estava virando água, mas que Deus trazia uma taça com sangue novinho e trocava seu sangue por esse novo. Essa revelação foi contada antes de descobrirmos o problema. E quando aconteceu, o meu espírito já estava preparado, porque, no final daquela oração, Deus falava que o Isaque testemunharia: 'Eu fui curado!'", jubila.

E o Senhor Jesus também falou com o pastor Amilton Clemente de Paula, pai do jovem. Ele recebeu uma mensagem profética de um cristão que estava afastado da igreja. "Naquele momento, procurei ver o que Deus tinha pra mim, não na vida dele. Deus o tomou em profecia e disse que meu filho não iria morrer, e que Deus traria Isaque de volta para o lar".

Mizael Lopes do Couto, que estava afastado dos caminhos do Senhor, ficou preocupado em falar-lhe, mas Deus o incomodou. "Estava desviado, fumando e bagunçando lá no mundo. Mas quando encontrei o pastor, Deus me tocou para dizer-lhe isso. Achei inicialmente que aquilo era coisa da minha cabeça. Mas dentro do meu coração, senti a presença de Deus e o Senhor me dizendo que a enfermidade dele não é para morte, mas para honra e glória do Seu Nome". Logo após entregar a mensagem, Mizael voltou-se para Jesus e, hoje, é presbítero na Assembléia de Deus local.

Isaque Dionísio ficou internado no Instituto de Hematologia do Estado do Rio de Janeiro (Hemorio) sob forte medicação. A saúde do jovem esteve bastante debilitada. Foi submetido a vários exames e passou por processo de quimioterapia.

No Hemorio, há um trabalho de capelania. Nele, evangélicos de várias denominações se reúnem para levar consolo, evangelização e acima de tudo saúde espirítual a pacientes e funcionários. Mesmo com a saúde debilitada, Isaque participou dos cultos realizados pela capelania, onde louvava a Deus e trazia uma palavra de fé.

O jovem fala desses instantes. "Passamos por momentos de desânimo, desistência e de não acreditar que vamos sair daquela sitação, mas sempre que isso acontecia, Deus mostrava que eu iria sair dali.", conta.

Isaque respondeu muito bem aos procedimentos, surpreendendo os médicos. "Para o médico, a instituição e a Ciência, aquilo poderia ser absolutamente impossível. Sou bem sincera nesse sentido. Para a medicina, isso não tem como acontecer, mas eu presenciei na vida de Isaque um milagre", exclama Carla Boquimpani, hematologista e chefe de clínica do Hemorio.

A experiência do rapaz produziu muitos frutos. "Foi um reboliço. Muitas vidas foram salvas através desse testemunho. Acredito que Deus usou Isaque como uma 'isca', para a salvação até mesmo do meu sogro", afirma irmã Luciene. "Aprendemos a depender mais de Deus", completa pastor Amilton.

O pastor da Igreja de Isaque, Isaías Coimbra, fala sobre a vida do jovem. "Ele foi um presente de Deus para a nossa Igreja, pois desenvolve um trabalho junto à liderança da mocidade, é um dos líderes da juventude do campo". Hoje, aos 24 anos, Isaque é presbítero da Assembléia de Deus em Comendador Soares (RJ), casado e pai de uma bela menina. "Venci, conquistei a cura e a vitória completa, porque guardei a fé. Então, guarde a sua fé, guarde a sua confiança em Deus, pois Ele fará um milagre na sua vida também", conclui.